quarta-feira, 30 de abril de 2014

TEMÍVEL PERDA


De todas as coisas que podemos perder, ao longo da vida, talvez que a mais determinante, assustadora, terrível, limitadora e paralisante seja a perda da nossa paz interior. 
Pois é ela, a paz interior, que nos permite refletir com lucidez, clareza e liberdade; decidir com isenção, pragmatismo e imparcialidade; agir com inteligência, justiça e serenidade; apoiar com sensatez e generosidade; recusar com elegância e dignidade; pedir sem subserviência, orgulho ou rancor; perdoar sem censura, reserva ou desejo de vingança; advertir ou castigar, sem humilhar, diminuir ou espezinhar; caminhar com segurança e determinação; vencer medos, frustrações, desilusões e humilhações; lutar pela justiça e pela verdade; ultrapassar as adversidades com coragem, esperança e garra, batalhar pelos sonhos, desejos ou objetivos, sem fantasias, utopias ou deturpações da realidade, mas entregando-se de alma e coração; viver em comunidade, socializar ou fazer amigos, sem hipocrisias, meias-verdades ou jogos de interesses, amar sem grilhões, dependências, exigências ou cobranças.

Arte by Joseph Adolphe
A perda da paz interior torna-nos débeis, tristes, revoltados, inseguros, invejosos, frustrados, injustos, vingativos, cobardes, medrosos, obtusos, hipócritas, preguiçosos, vulneráveis ou mesmo maus.
As lágrimas, os gritos, as palavras duras ou injustas, a traição, a difamação ou a inércia tornam-se na nossa forma de estar na vida.
Consideramo-nos vítimas do mundo, da sociedade, dos outros da família ou de um Deus cruel e vingativo.
Perdemos a capacidade de nos encantar, sonhar, discernir com clareza, lutar honesta e integramente, pelos nossos objetivos, perdoar ou mesmo amar.

Artista - Spartaco Lombardo
Somente quando nos encontramos em paz connosco próprios, poderemos ser, simultaneamente, firmes e doces, verdadeiros, mas não agressivos, tolerantes, mas não permissivos; humildes, confiáveis, fortes e  generosos.
Podemos perder o carro, a casa, o emprego, a saúde, os amigos ou a família, mas, se não perdermos a Paz interior, nada teremos verdadeiramente perdido. Pois, dentro de nós, existe o que é necessário para nos reerguermos, começar de novo, sorrir e ser FELIZES.

Artista - Ingrid Tusell

UBUNTU - "EU SOU PORQUE NÓS SOMOS"

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os seu comentários, sugestões, pedidos de partilha, etc. são, para além de muito bem-vindos, essenciais para que seja possível atingir os objetivos para os quais este blog foi criado.