terça-feira, 28 de janeiro de 2014

TERRA MÃE - TRANSFORMAÇÃO E TRANSCENDÊNCIA


The Art of Micheal Teal - The Ancient One - Mother Earth. Bronze sculpture

Agora, quero que, neste momento,  se recorde daquela situação muito dececionante em sua vida, em que a tristeza o/a invadiu. Aquela situação em que a sua pessoa foi injustiçada, foi covardemente enganada, envergonhada, ridicularizada ou humilhada.
Recorde-se neste momento daquilo que o feriu. Pare tudo o que estiver a fazer. Inspire profundamente. Procure um sítio calmo. Se lhe for possível, sente-se, ajoelhe-se ou deite-se sobre a  Terra Mãe. Relaxe.
Recorde a sua dor, reviva os acontecimentos e compreenda que é chegado o momento de esquecer... 
Pois, essa situação foi a melhor coisa que lhe aconteceu! Porque a raiva que sentiu, desenvolveu dentro de si uma energia que, sem mudar o mundo,  a situação, ou a pessoa que o magoou, o/a mudou a si e o/a tornou uma pessoa mais forte
São os vários momentos difíceis, tristes ou dolorosos que nos mudam interiormente e nos obrigam a dizer chega, a virar a mesa, a mudar de vida e/ou a perspetiva de a olhar, a mudar de atitudes, a mudar de rumo, a mudar de opinião  ou, mesmo,  a mudar os nossos sentimentos. Em suma, a mudar-nos a nós próprios
A raiva que sentiu, ou se ainda a sente, deve ser usada positivamente, pois ela é o fator motivador para a transformação em sua vida. 
Mude, e faça isso de forma inteligente. Sem gritos, sem agressões, apenas não permitindo mais que certas situações aconteçam.
Nesse momento, agradeça a dificuldade, pense em quão positiva essa revelação foi para si. Perceba o quanto aquela tristeza proporcionou alegrias vindouras, por não participar mais em certas situações e o quanto seu mundo ficou melhor... 
Neste dia, comprometa-se em Mudar e Transcender...
A energia provocada pela raiva é uma força extremamente poderosa que, se usada positivamente, tem o poder de transformar a sua vida e de o/a tornar uma pessoa melhor, mais sábia, mais segura de si, mais em sintonia com a Grande Deusa, a Terra Mãe, e o Universo.
Veja como é possível transcender e transformar o "lixo" em algo magnífico e que dispensa comentários.








UBUNTU - “Eu sou porque nós somos”

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

A ESCADA DE JACOB

 Jacob's Ladder     
William Blake (Londres, 28 de novembro de 1757 — Londres, 12 de agosto de 1827) foi um poeta, pintor inglês, sendo sua pintura definida como pintura fantástica, e tipógrafo.
Blake viveu num período significativo da história, marcado pelo Iluminismo e pela Revolução Industrial na Inglaterra. A literatura estava no auge do que se pode chamar de clássico "augustano", uma espécie de paraíso para os conformados às convenções sociais, mas não para Blake que, nesse sentido era romântico, "enxergava o que muitos se negavam a ver: a pobreza, a injustiça social, a negatividade do poder da Igreja Anglicana e do estado."
Sonho de Jacob em Betel – Jacob saiu de Bercheba e tomou o caminho de Haran. Chegou a determinado sítio e resolveu ali passar a noite, porque o sol já se tinha posto. Serviu-se de uma das pedras do lugar como travesseiro e deitou-se.
Teve um sonho: viu uma escada apoiada na terra, cuja extremidade tocava o céu; e, ao longo desta escada, subiam e desciam mensageiros de Deus" G28,1-36,43

Jacob viu a escada e compreendeu que a teria que subir, se queria ir ao encontro de Deus.  Ao longo da sua vida, teria que ter a coragem, a sabedoria e o Amor suficientes para ser capaz de subir os degraus dessa escada, por mais difíceis e temíveis que fossem as situações porque iria  passar.
Para mim a vida é um Caminho. Por vezes um caminho cheio de travessias difíceis, de subidas íngremes, de estradas esburacadas. 
A todo o momento nos são propostos desafios. E, é nesses desafios, que enfrentamos, que podemos, ou não, subir os degraus da nossa escada.
Adam and Eve
Lucas Cranach o velho (em alemão Lucas Cranach der Ältere, 1472 em Kronach – Weimar, 16 de outubro de 1553) foi um pintor germânico renascentista, autor também de gravuras e xilografias. Foi pintor da corte dos Eleitores da Saxônia durante a maior parte de sua carreira, e é mais conhecido por seus retratos, tanto de príncipes alemães como de líderes da Reforma Protestante, cuja causa abraçou com entusiasmo, tornando-se amigo próximo de Martinho Lutero. Pintou também assuntos religiosos, primeiro na tradição católica, depois buscando novas formas de transferir para a arte as referências religiosas luteranas. Durante toda sua carreira pintou nus baseados na mitologia e na religião. Tinha um grande estúdio e muitos trabalhos existem em diferentes versões; seu filho Lucas Cranach, o Jovem, e outros, continuaram a produzir versões do trabalho de seu pai por décadas após sua morte.
Ao longo de gerações fomos atormentados com o Pecado original. Eva tinha pecado, colheu o fruto da Árvore da Sabedoria e, com artes e manhas, convenceu Adão a pecar também. Comeram a Maçã e ganharam o entendimento do Bem e do Mal.
Acho o Antigo Testamento, particularmente, o Génesis, um Livro extraordinário de Sabedoria. Nele a sabedoria é-nos transmitida de uma forma alegórica, mas, para as gentes da época, devia fazer sentido ser interpretado à letra.
Parece-me óbvio que Deus não criou o Universo em 7 dias, mas, talvez em 7 triliões de dias, ou que Adão e Eva não pecaram por comer da Árvore da Sabedoria, mas antes começaram a "pecar" quando  a sua evolução (da humanidade)  lhes deu a consciência do Bem e do Mal, pois, até essa altura, tinham tanta consciência desta dicotomia como as restantes espécies do reino animal.
Deus, para mim, não é uma espécie de rei que vive sentado num trono e olha com amor, mas também autoritarismo, para a humanidade. Também não é uma espécie de mágico que tira coelhos da cartola, sem conseguirmos perceber os truques.
Vejo Deus como uma Força ou entidade feita de Energia, Inteligência e Amor, que criou um Universo que é regido pelas leis da física, conhecidas ou desconhecidas. Todos nós somos como que uma pequena parte de Deus e, por isso mesmo, O temos dentro de nós. 
Mas Deus não criou uma obra acabada, criou uma obra em contínua evolução e crescimento. Para que não nos percamos na nossa jornada, Ele envia-nos continuamente sinais do seu Amor e da sua presença, quer tenha sido através de Jesus, ou de qualquer pessoa que se cruza no nosso caminho, ou de todas aquelas coisas boas que aparecem na nossa vida, mesmo no momento em que pensávamos que já não aguentávamos mais.
Não sendo eu conhecedora dos Seus desígnios, tudo me leva a crer que o objetivo é que a sua obra retorne a Ele, como num eterno retorno
E é por isso que temos que desbravar os nossos caminhos e temos que fazer as nossas escolhas.
Para mim, o maior desafio que Deus nos propõe é de termos a capacidade de ser felizes. Isto não tem truque, mas tem muitas subtilezas.
Ser feliz é ter a capacidade de aceitar as situações mais difíceis que a vida nos propõe, não baixando os braços, não agindo como derrotados, não encolher-nos num canto a chorar as mágoas, não revoltando-nos contra a sociedade e a humanidade, não descarregando nos outros as nossas frustrações e dores. Mas, sim, aceitando o que nos acontece, retirando as aprendizagens e as coisas boas dessas situações e, arregaçando as mangas, pegar naquilo que de bom nos restou e voltar a construir a vida outra vez.
Nenhum homem mau é feliz. Só os Homens que perseguem sonhos, que criam beleza, que geram harmonia e que conduzem a vida pelo fio do Amor é que conseguem alcançar a felicidade.
Mesmo assim, por mais fortes, corajosos e determinados que sejamos o Caminho é difícil de desbravar. Por vezes conseguimos subir um par de degraus da nossa escada, outras vezes resvalamos três ou quatro, e outras, ainda, caímos de cabeça e ficamos de quatro.
Mas não tem mal cair, porque nos podemos sempre reerguer e voltar a subir.
Em toda a minha vida, tenho conhecido algumas pessoas extraordinárias de força, garra e amor, que vivendo as mais extraordinárias e difíceis situações, mantêm um sorriso nos lábios e amor no coração. Essas pessoas são uma inspiração e, acredito, não passam ao nosso lado por acaso.
Estes são apenas exemplos, mais falados e mais visíveis para todos



Mas, a cada momento, podemos encontrar outros bem mais anónimos, mas cujas vidas são um exemplo constante de coragem, dádiva e amor, mesmo vivendo as mais tenebrosas e difíceis situações. Os degraus das suas escadas não devem ser nada fáceis de subir, mas eles já devem ir bem alto.

Fiquem bem, porque a vida é um lugar de desafios maravilhoso. 



UBUNTU - “Eu sou porque nós somos”

Publicado no meu Blog CAMINHOS & LABIRINTOS  em Setembro 2011 

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

ACREDITAR E AGIR

Não nos chega a Fé, é, também, necessário o Amor;
Não no chega o  Amor, é, também, necessária a Ação;
Se Acreditar /Tiver Fé / Sentir Amor, não se esqueça de Agir......!!!

"Believe and act"
A traveler walking along the banks of a large lake of crystalline waters and imagined a way to get to the other side, where it was his destiny. He sighed deeply while trying to fix our gaze on the horizon. The voice of a white-haired man broke the momentary silence, offering to carry it. He was a boatman.
The small boat aged, where the crossing would be held, was equipped with two oars of oak. The traveler looked closely and saw what appeared to be letters in each oar. By placing the dusty feet inside the boat, it was noted that two words. In one of the paddles were carved the word "believe" and other "act".
Unable to contain his curiosity, asked why those original names given to the oars. The boatman took the paddle, on which was written to believe, and paddled with all his strength. The boat then began to circle without leaving the place where it was. Then he took the oar that act was written and paddled with all force. Again, the boat turned in the opposite direction, without going further.
Finally, the old boatman, holding the two paddles, moved them at the same time and the boat, driven by both sides, sailed through the waters of the lake, coming quietly to the other side. Then the boatman said the traveler:
- This boat can be called self-confidence. And the margin is the goal we want to achieve. For the ship of self-navigate and secure reach the intended goal, it is necessary that we use the two paddles at the same time and with the same intensity to act and believe.

And you? Are paddling steadily to reach the goal it set itself?
And before moving the boat, make sure the paddles are not corroded by the acid of selfishness.
After taking all these precautions, go ahead and have a good trip.




UBUNTU - “Eu sou porque nós somos”

NÃO CHORES

Que a alegria, garra, fé, esperança e amor que Francisco nos inspira, nunca seja ensombrada pela mais leve nuvem....
 
 
Não chores pelo que perdeste, luta pelo que tens. Não chores pelo que está morto, luta por aquilo que nasceu em ti. Não chores por quem te abandonou, luta por quem está contigo. Não chores por quem te odeia, luta por quem te quer. Não chores pelo teu passado, luta pelo teu presente. Não chores pelo teu sofrimento, luta pela tua felicidade. Com as coisas que vão nos acontecendo vamos aprendendo que nada é impossível de solucionar, apenas siga adiante. 

Jorge Mario Bergoglio - Papa Francisco
Feliz 2014



 
UBUNTU - “Eu sou porque nós somos”
 

A ESCOLHA


“Senhor, dai-me força para mudar o que pode ser mudado... Resignação para aceitar o que não pode ser mudado... E sabedoria para distinguir uma coisa da outra.” 
Francisco de Assis

Antigamente, acreditava-se que o Homem era apenas um pobre pecador e Deus era visto como um Ser severo, a quem deveríamos temer, venerar e obedecer, aceitando com resignação todos os sofrimentos e problemas da vida, pois estes não eram mais do que a Vontade de Deus.
No século XX, após a redescoberta da  mensagem de Deus, de  há 2.000 anos atrás, passámos a olhá-Lo  como o Deus do Amor.
Mas, quase simultaneamente, nasceram diversas filosofias ou correntes espirituais que recentraram a divindade no próprio homem. 
Estas  perspetivas deram origem a uma nova crença, a qual assenta na premissa de que cada um de nós, apenas através da força do pensamento e da energia positiva, tem a capacidade de alcançar a felicidade e realizar todos os desejos. 
Para confirmá-lo basta entrar numa livraria ou fazer uma pesquisa na internet. 
Lá encontraremos centenas, se não milhares, de livros, sites, ou blogs, que enganosamente nos fazem PROMESSAS, assegurando-nos de que, se cumprimos à risca, as técnicas e métodos que nos ensinam,  nos transformaremos em pessoas audazes, seguras de si, amadas, realizadas e capazes de alcançar todo e qualquer objetivo a que nos proponhamos, com a facilidade de um estalar de dedos.
Se acaso não tivermos sucesso, "não tenhamos dúvidas", a falha é nossa, porque não acreditámos suficientemente em nós próprios e / ou não aplicámos as técnicas corretamente.
Na verdade, a vida é um Caminho. Podemos tomar atalhos, fazer diversas escolhas, seguir diferentes religiões ou correntes da psicologia, filosóficas, humanistas, ou espiritualistas, mas não existem varinhas de condão que se substituam ao nosso crescimento enquanto pessoas.
A Vida "faz-se", um pouco, por tentativa e erro. Para cada falha há uma nova aprendizagem, para cada perda, um novo recomeço.
A mudança é intrínseca à vida. Logo que subimos  um degrau, deparamo-nos com outro.
Existe um Ser ou Todo Divino, tal como existe a Energia.
Cada ser humano atravessa a vida num processo de crescimento e de retorno ao Divino. Para tal utiliza a Energia que está dentro de si e à sua volta, O livre arbítrio permite-lhe fazer escolhas, entre as quais, a de escolher ser, ou não ser, feliz.
Sim, porque se feliz é uma escolha pessoal. Mas, escolher ser feliz não quer dizer que os problemas, os momentos de dor ou sofrimento, as inseguranças ou os traumas deixam de existir. Quer apenas dizer que escolhemos ser felizes, apesar de todos os problemas, sofrimentos e dificuldades. 
A experiência diz-nos que somos capazes de sobreviver e ultrapassar os problemas; que a seguir a um momento difícil, vem sempre um momento de paz, acalmia ou felicidade.
Apenas a forma negativa de encarar a vida, a pode transformar num calvário.
O elemento essencial para que sejamos felizes é o Amor. 
O Amor a nós próprios, aos outros e à vida.
Só esse Amor nos torna melhores pessoas. Alimenta-nos a esperança, dá sentido aos nossos atos, torna-nos tolerantes, perseverantes, corajosos, sorridentes, calmos, harmoniosos, meigos, confiantes, caridosos, audazes e felizes. Mas, nunca nos podemos esquecer de que  amar dá "muito trabalho".
Não existem varinhas mágicas, nem soluções já prontas, mas existe algo bem melhor e maior. Existe o Amor.


"Dai-me, Senhor, a perseverança das ondas do mar, que fazem de cada recuo um ponto de partida para um novo avanço."
Cecília Meireles



Luz sobre o mundo
Pelo trabalho que eu faço, para a elevação do meu ser, permito trazer Luz no mundo.
Uma ajuda divina a nós é trazida para implantar o Amor sobre a terra.
Eu dirijo positivamente a energia consciente dos meus pensamentos com o objectivo de participar nesta magnífica entre-ajuda de paz para um mundo melhor.


UBUNTU - “Eu sou porque nós somos”

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

MEDITAÇÃO



Meditar é uma forma de, simultaneamente, nos afastarmos e aproximarmos do mundo. A meditação conduz a uma maior harmonia interior e com tudo o que nos rodeia.
Nem sempre é fácil meditar, é necessário treinar a  mente e o espírito para a meditação. Os resultados, em termos de felicidade, não são imediatos, mas sim graduais.
Todos os povos têm, desde tempo ancestrais, a sua forma de manifestar e desenvolver a espiritualidade e, também, formas diferentes de meditar. 
Não existem tipos ou formas de meditar melhores do que outras.  Existe, sim, a nossa predisposição para nos tornarmos melhores pessoas, para evoluirmos e para, cada vez mais, alcançarmos uma maior sabedoria.
A Meditação não é uma varinha mágica que resolve todos os problemas e que, só por si, conduza à felicidade, é antes uma disciplina, um método, uma forma de estar na vida,  que nos permite alterar de uma maneira positiva e espiritual a nossa perspetiva sobre nós mesmos, sobre o mundo que nos rodeia e sobre a realidade e, por essas razões, pode contribuir de forma decisiva para a felicidade  de cada um.

História

A meditação é algo que podemos situar entre a concentração e a contemplação e é, frequentemente, associada às religiões orientais. A prática da meditação é quase tão antiga quanto a humanidade, sendo que os mais antigos achados históricos, relativos a esta prática, são originários do antigo Egito.
Aparentemente, a prática da meditação não parece ser  originária de um povo ou região específicos, pois desenvolveu-se em culturas diferentes, recebendo também diferentes nomes. O Egito, a Índia, o povo Maia, a China ou o Japão são exemplos de povos ou regiões onde, desde há muito, a prática da meditação é uma realidade.
Embora, normalmente, se associe meditação à espiritualidade ou religiões, esta pode também ser praticada como um instrumento para o desenvolvimento pessoal, num contexto não religioso.
Etimologicamente, a palavra meditação, vem do latim, meditare, que significa voltar-se para o centro, no sentido de desligar-se do mundo exterior e voltar a atenção para dentro de si. Em sânscrito é chamada dhyana, obtida pelas técnicas de dharana (concentração), no chinês diz-se Ch'anna, em japonês denomina-se Ch'an e Zen e em páli é Jhana.

Prática

Através da meditação dá-se uma espécie de desligar, por alguns momentos, do mundo material e das emoções ou problemas que nos atormentam. A meditação não é uma panaceia, não resolve problemas, nem gera milagres. Mas, a sua prática, ajuda-nos a colocar os problemas em perspetiva, a controlarmos melhor as nossas emoções negativas, a acalmarmo-nos, a ver o mundo de uma outra forma e a ficarmos em sintonia com o universo e toda a sua energia, a qual podemos absorver e utilizar para nos sentirmos em paz connosco próprios e com o mundo. 
Posteriormente, existe todo um trabalho pessoal, práticas, atitudes e comportamentos que nos permitirão resolver problemas ou olhá-los de uma outra maneira, mas a meditação não substitui, de forma alguma, o nosso "trabalho" pessoal.
A meditação é, portanto, uma forma de entrarmos em contato com o nosso eu profundo e com o universo que nos rodeia e do qual somos parte integrante.
A ciência ainda não conseguiu explicar, até hoje, uma enorme variedade de fenómenos produzidos pelo nosso cérebro e desconhece, igualmente, muitas das inúmeras capacidades que este tem. Contudo, podemos constatar, diariamente, que conseguimos melhores resultados em qualquer área, quando nos sentimos bem connosco e com os outros, da mesma forma que, naqueles dias em que acordamos maldispostos, tudo quanto é negativo parece vir ter connosco. 
Existem períodos na nossa vida em que tudo de mau parece acontecer-nos e, embora, façamos, ou julguemos que fazemos, tudo ao nosso alcance para sair dessas situações o melhor possível, no dia seguinte aparece logo outra coisa negativa na nossa vida, para nos perturbar.
Que eu conheça, não existem fórmulas secretas para alterar esses ciclos negativos.   A vida é um caminho, o qual pressupõe uma contínua aprendizagem.   Os degraus que somos obrigados a subir, as escolhas que temos que fazer, as quedas que damos pela nossa própria falta de equilíbrio, ou pelas rasteiras que a vida nos prega, ao longo desse caminho, são, em si mesmas, a maior fonte de aprendizagem, mas, quanto mais rapidamente ultrapassarmos uma etapa, mais rapidamente adquirimos maior conhecimento e sabedoria e, também, mais rapidamente nos serão propostos novos desafios.
A meditação é um poderoso auxiliar na nossa caminhada, ajuda-nos a manter o equilíbrio e a calma, a abrir o espírito e a mente a novas ideias, projetos ou soluções, a mudar comportamentos e atitudes. 

Regras e Técnicas


Não existem regras muito específicas ou uma técnica única para meditar. Tanto podemos meditar sozinhos como em grupo. Podemos, ou não, utilizar Mantras (sílabas, sons  ou frases,   que produzem vibrações transcendentais e determinados  efeitos de elevação espiritual, naquele que o utiliza;  sentarmo-nos na posição de lotus; acreditar na existência dos chacras  (chacras ou xacras, também conhecidos pela grafia chakras, são canais dentro do corpo humano (nadis) por onde circula a energia vital (prana) que nutre órgãos e sistemas)
O essencial é conseguir distanciarmo-nos do mundo material e dos problemas e fazer uma caminhada pelo nosso eu interior, que, estranhamente, nos colocará em comunhão com a natureza e o universo, demonstrando-nos que somos, afinal, uma e a mesma coisa.
Cada pessoa pode ter a sua forma ou até local próprio para meditar, mas, basicamente, deve escolher-se um lugar calmo, onde seja improvável virem incomodar-nos. Tanto poderá ser dentro de casa como na rua, em contato com a natureza. Poderá ser colocada uma música de fundo, apropriada para relaxamento e meditação e, obrigatoriamente, nunca tão alta que produza qualquer tipo de distração da meditação pretendida.

Proposta de meditação


  1. Sente-se confortavelmente, num local calmo;
  2. Descontraia os músculos, rodando os braços e o pescoço, espreguiçando-se;
  3. Relaxe;
  4. Esvazie o pensamento;
  5. Feche os olhos;
  6. Concentre-se no seu corpo. Primeiro nos dedos dos pés e descontraia-os, depois as pernas, as nádegas e o sexo, a barriga, o peito, as costas, os braços e mãos, o pescoço e o rosto e, finalmente, o seu cérebro.  Relaxe lentamente e acompanhe este relaxamento de inspirações profundas. 
  7. Continue de olhos fechados, procure ouvir os sons da natureza que o rodeiam;
  8. Imagine que os seus pés têm raízes invisíveis, que se encontram ligadas à terra. Através delas liberte toda a sua energia negativa, todas as suas dores, medos, tristezas, ansiedades, culpas.....  
  9. Imagine agora um céu com nuvens suaves que se dirigem para si. Procure visualizá-lo.
  10. Imagine que, de entre essas nuvens, uma se destaca, é mais brilhante do que as outras e para diretamente por cima de si. Então, uma chuva de brilhos cai sobre si, lavando-o, purificando-o, libertando-o de todos os males e aflições, rejuvenescendo-o, curando-o.
  11. Imagine, agora, que se encontra no meio da floresta, completamente livre e liberto. Oiça o poderoso pio da águia ou do falcão, visualize-os cruzando os ares. Oiça o som da água que corre num rio próximo. Oiça a queda de água à distância. Sinta a brisa suave que transporta o cheiro das flores. Oiça os sons da floresta.
  12. Sinta-se livre, liberto, até da própria gravidade. Visualize novamente o céu, um céu com nuvens esparsas e aves esvoaçando livres. Eleve-se, liberte-se, não sinta medo, e voe. Veja as montanhas longínquas, aproxime-se delas. Veja-as do alto. Faça um voo picado em direção ao lago. Molhe o rosto na espuma das cataratas. Observe os ninhos. O coelho que corre veloz, fugindo às garras de um predador.
  13. Visualize os cavalos selvagens que galopam livres na pradaria, voe sobre eles, sinta o seu bafo quente, oiça os cascos batendo na terra.
  14. Voe, voe, por onde quiser, durante o tempo que lhe apetecer, não sinta medo, na sua viagem não há acidentes, nem quedas.
  15. Regresse quando quiser. Inspire profundamente. Permaneça de olhos fechados durante algum tempo. Sinta a paz que o rodeia. Sinta a paz dentro de si.
  16. Abra os olhos. 
  17. Está agora preparado para enfrentar o mundo, um novo dia, um novo problema. 
  18. Poderá sempre voltar àquele lugar onde pode voar. Sempre que precisar recuperar as forças, sempre que precisar de paz, sempre que estiver triste, sempre que precisar, sempre que lhe apetecer.
  19. Esse lugar ajudá-lo-á a encontrar a melhor solução, a melhor atitude e a viver em paz consigo próprio, com os outros, com o universo e com Deus.
Boas meditações 












 UBUNTU - “Eu sou porque nós somos”